Notícias Fecomercio

30 de novembro de 2018

Setor de serviços passa por recuperação dos postos de trabalho no Estado de São Paulo


Empresários devem contratar de acordo com a legislação trabalhista e as novidades trazidas pela modernização das leis do trabalho; veja as dicas da FecomercioSP

Este e o próximo ano serão de recuperação dos postos de trabalho perdidos no setor de serviços no Estado de São Paulo nos anos de 2015 e 2016. Apesar da projeção positiva, esse processo trará desafio aos empresários para que eles contratem corretamente de acordo com a legislação trabalhista e as novidades trazidas pela modernização das leis do trabalho.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) recomenda que, ao abrir novas vagas, a empresa detalhe claramente os objetivos da função, as características desejadas da mão de obra e que pratica salário em patamares do mercado. Além disso, quando possível acrescente diferentes benefícios para atrair talentos, utilize métodos tecnológicos para seleção, ouça as indicações de bons funcionários e avalie se o caixa atual e as projeções de vendas são suficientes para realizar novas contratações.

Nos primeiros nove primeiros meses do ano, o setor de serviços gerou mais de 146,4 mil vagas, segundo apurou a Pesquisa de Emprego no Setor de Serviços do Estado de São Paulo (PESP Serviços). O período é o melhor desde 2014, com destaques para os setores educacionais (32.612 vagas), administrativos (26.858 vagas) e serviços médicos, odontológicos e sociais (25.734 vagas). Especificamente nesses três grupos se ressaltaram as atividades do ensino fundamental (7.567 vagas), atendimento hospitalar (7.693 vagas) e serviços de apoio à edifícios (4.414 vagas).

Em setembro, 15.368 novos empregos formais foram preenchidos no setor de serviços do Estado de São Paulo. É o terceiro mês seguido que o mercado de trabalho formal cresce. Com esse resultado, o estoque do setor paulista atingiu 7.447.827 vínculos empregatícios celetistas, sendo que todos os grupos observados possuíram crescimento do emprego com carteira assinada. Entre os melhores resultados, destacaram-se os serviços de alojamento e alimentação (3.065 vagas) e os serviços administrativos e complementares (2.941 vagas). Confira a matéria completa aqui.

 

Voltar para Notícias

parceiros